A drenagem linfática manual como aliada no pós-operatório

O sistema linfático é uma via secundária de acesso por onde líquidos provenientes dos espaços celulares são devolvidos ao sangue. É composto por uma rede complexa de gânglios linfáticos ou linfonodos, capilares linfáticos e vasos linfáticos que produzem e transportam um líquido denominado linfa, dos tecidos para o sistema circulatório.

Trata-se de uma rede de vasos (veja figura abaixo) complexa semelhante ao sistema circulatório que está presente em todas as regiões do corpo. O sistema linfático também tem papel no sistema imunológico por atuar juntamente com os glóbulos brancos (células de defesa do organismo) na proteção contra bactérias e vírus invasores.

As principais funções do sistema linfático são a remoção de líquidos em excesso dos tecidos corporais e proteção celular.

Diferentemente da circulação sanguínea, o sistema linfático não apresenta uma bomba como o coração – a linfa depende exclusivamente da ação de agentes externos para poder circular. Esses agentes externos são principalmente a contração muscular.

A linfa é transportada através dos vasos linfáticos, com a ajuda da musculatura, de pequenos vasos para vasos progressivamente maiores onde desembocam no sistema circulatório.

Após uma intervenção cirúrgica, seja ela plástica, ortopédica, cardíaca, oncológica, ginecológica ou vascular, o corpo passa por um processo de reparação. O organismo, principalmente onde foi realizado a intervenção, necessita de uma maior quantidade de oxigênio, nutrientes e células imunológicas para sua recuperação.

Para que isso ocorra há um aumento da circulação nessas áreas e os vasos despejam maior quantidade de líquido responsável pela formação do edema ou inchaço do pós-operatório. Esse edema fica ainda maior devido a um menor nível de atividade do paciente, já que o sistema linfático está diretamente ligado a bomba muscular como citado anteriormente.

O edema no pós-operatório é inevitável, mas os seus efeitos e sintomas podem ser minimizados com a drenagem linfática manual. A drenagem tem como principal objetivo acelerar o transporte e a eliminação desse excesso de líquido acumulado devido ao aumento da circulação local.

linfatico

A drenagem linfática é um tipo de massagem que utiliza movimentos lentos e suaves, totalmente indolor, que auxilia e acelera o sistema linfático para a redução do inchaço, alívio da dor e relaxamento global. Ajuda também na remoção dos hematomas, prevenção de fibrose, acelera o processo de cicatrização.

A drenagem linfática manual pós-operatória deve ser feita no corpo todo para estimulação sistêmica. Na área operada, o trabalho deve ser mais detalhado, direcionado e respeitando as mudanças anatômicas em decorrência da cirurgia.

O início das sessões varia de acordo com a liberação de cada cirurgião, mas normalmente acontece já no terceiro dia de pós-operatório. As primeiras 5 sessões devem ser feitas dias seguidos e a partir da sexta sessão podem ser feitas dia sim, dia não.

A drenagem deve ser feita por um profissional qualificado, treinado e capaz de avaliar a necessidade do número de sessões para cada paciente. A realização correta da técnica é de extrema importância, pois não causa dor e influencia diretamente no resultado da cirurgia.

468 ad