As impressões de um corredor

Escrevo esta coluna em uma segunda-feira de muitas dores musculares. Dores nas pernas, principalmente panturrilha, dores na lombar, mas dores que me deixaram com uma imensa satisfação e sensação de dever cumprido.

Fui procurado há cerca de três meses e meio por dois amigos para iniciarmos uma preparação para a meia maratona do Rio de Janeiro. Fantástico! Amo o Rio e amo atividade física; não poderia ter uma proposta melhor.

O problema era o tempo, bastante curto para iniciarmos um treinamento. Além disto, estes dois alunos não vinham fazendo corridas longas há bastante tempo (faziam apenas corridas de fim de semana). Mas, como dizem os mais antigos, “carro apertado é que anda”.

Foram três meses de treinamento. Três treinos de corrida por semana, alongamentos, trabalho de força, mudanças alimentares e, também, mudanças nos programas de fim de semana, mantendo o foco em nosso objetivo. Tudo isto, sem abrir mão da rotina de trabalho, viagens, família etc… Duro! Mas extremamente gratificante!

Foi muito bom correr na orla carioca (minha segunda casa), com a brisa do mar misturada ao calor escaldante do asfalto, em meio a outros 20 mil corredores anônimos, brasileiros de todos as partes, estrangeiros, homens, mulheres, idosos, fantasiados, dos mais variados credos, gostos, estilos de vida, raça… Mas todos com um objetivo em comum, cruzar a linha de chegada, superar seus próprios limites, “brindar” a saúde, ou simplesmente correr!

Linha de chegada da Meia Maratona do Rio de Janeiro
Linha de chegada da Meia Maratona do Rio de Janeiro

Foi melhor ainda perceber que, apesar do pouco tempo de treino, Babaya e Roberto (meus alunos) foram obstinados, valentes e conseguiram alcançar a meta proposta. Para um Professor de Educação Física, isto é extremamente gratificante, pois acredito que uma de nossas funções é justamente esta – despertar nas pessoas “comuns” (não atletas) o gosto pela atividade física, pela vida saudável; mostrar que com disciplina e empenho todos nós somos capazes.

Babaya era só alegria no Rio
Babaya era só alegria no Rio
Roberto: vibe boa na orla carioca
Roberto: vibe boa na orla carioca
Roberto, eu e Babaya: medalhas
Roberto, eu e Babaya: medalhas

E é isto que te convido a fazer!

Estamos bem próximos da XVIII Volta Internacional da Pampulha 2016!!! Para você que ainda não se animou, há tempo para se preparar. Faltam 45 dias de preparação para esta corrida maravilhosa.

Mas, neste período, não extrapole, não exceda limites físicos, não faça do seu treino uma missão dolorosa e enfadonha. O esporte para nós “não atletas” deve ser carregado de prazer e alegria. Claro, muito suor e algumas dores musculares fazem parte da rotina do treino. Mas, nada que afete sua saúde e sua motivação de treinar e evoluir a cada momento.

Nestas próximas seis semanas, priorize treinos de intensidade moderada, ou seja, que simulem a velocidade da prova. Não saia correndo em velocidade muito superior à da corrida. Exemplo: se seu objetivo for correr a prova numa velocidade média de 9 km/h, ou 1Km a cada seis minutos e quarenta segundos, faça treinos entre 10% abaixo ou acima deste ritmo. Organize seu treinamento entre ritmos de 8 a 10 km/h.
Varie bastante a maneira de treinar.

Alguns treinos podem ser intervalados e outros de forma contínua. Procure correr nos finais de semana treinos mais longos que simulem as condições da prova. Variáveis como volume (tempo de corrida), intensidade (velocidade de corrida), horário, local (relevo), vestuários (roupa e calçado) e alimentação (hidratação e suplementação) devem ser os mais similares da tarefa de correr os 18 km na Lagoa da Pampulha!

Respeite os sinais de cansaço, seja durante o treinamento como também pós-treino. Corra com intervalos de pelos menos 48 horas entre as sessões para que você possa ter uma boa recuperação muscular. Bastam três sessões de treinos semanais! Atletas amadores necessitam de mais tempo de recuperação, afinal de contas temos que trabalhar para pagar o leitinho das crianças!!!

A vivência e a experiência de correr transcende a questão esportiva. Vai mais além, faz cada um perceber o quanto é capaz de fazer, de superar barreiras e entender os limites físicos e psicológicos. Treinar com objetivo de participar de uma prova de corrida de rua eleva sua motivação, dá mais vida a rotina de treinos.

A corrida da Pampulha vai ser muito bacana, apenas quem já correu entende o que estou falando. Corredores de todo o país estarão aqui em BH neste maravilhoso congraçamento esportivo, celebrando o simples prazer de correr.

Venham conosco!

468 ad