Carne vermelha faz mal? E os embutidos?

Em primeiro lugar, o que é carne vermelha? São as carnes que vêm de mamíferos; então, até aquele lombo de porco bem branquinho, também é carne vermelha. Os embutidos são salsichas, salames, presuntos, carne enlatada e etc, e também são chamados de carnes processadas, pois são salgadas, curadas, fermentadas, defumadas ou que passam por processos para aumentar o sabor ou melhorar a conservação.

Vários estudos mostram que em locais onde se come muita carne, há um aumento de vários tipos de câncer. Apesar de ser um aumento pequeno, muitas agências de saúde já orientam a limitar o consumo de carne vermelha.

A forma de preparo da carne pode influenciar nesse risco. Quando a carne entra em contato direto com a chama ou com superfícies muito quentes há a produção de substâncias que aumentam o risco da câncer, mas nenhum estudo conseguiu provar que isso de fato aumenta o risco de câncer na pessoa.

Então, alguém pode pensar então que a carne crua é mais segura, mas aí entra outro fator que é o risco de infecções. Cientificamente falando, o que se sabe é que locais em que se consome mais carne há mais câncer e que faz sentido pensar que alguns componentes aumentem realmente esse risco, mas não foi possível excluir outros fatores que podem estar associados.

É o mesmo que dizer que pessoas que andam com isqueiro no bolso têm mais câncer de pulmão; isso pode ser verdade, mas o motivo não é o isqueiro e sim o fato de que essas pessoas em geral são fumantes.

Já as carnes processadas são colocadas na mesma categoria que o tabagismo, em termo de risco de câncer. Claro que o risco não é o mesmo que o do tabagismo, mas isso indica que elas, sim, estão associadas a vários tipos de câncer e devem ser evitadas na medida do possível.

Os tipos de câncer associados à carne vermelha e carne processada são principalmente de intestino grosso, próstata, pâncreas e, talvez, de estômago. Esse aumento de risco é dependente da quantidade ingerida por dia e não depende do gênero, raça ou idade. Então, é melhor não comer carne? Bem, também não é para tanto.

Comer carne tem vários benefícios, o que devemos fazer é limitar esse consumo, não só para prevenção de cânceres, mas também para a prevenção de doenças cardíacas, diabetes e outras doenças. O vegetarianismo, por exemplo, oferece suas vantagens, mas também algumas desvantagens, o que eu vou abordar em futuros textos.

Como eu sempre digo, o segredo é o equilíbrio; não devemos proibir e excluir alimentos, e sim privilegiar os mais saudáveis e diminuir os menos.

468 ad