Chamando a cegonha!

A chegada de um filho muda completamente a vida de uma família. Por isso, essa deve ser uma decisão consciente e planejada pelo casal. Para orientar e esclarecer as dúvidas de quem deseja realizar esse sonho em 2017, o especialista em medicina reprodutiva, membro da Clínica Origen e professor titular do departamento de ginecologia da UFMG, Selmo Geber, reuniu seis dicas que tornarão esse processo mais seguro e saudável.

Busque orientação médica
Antes de iniciar as tentativas, procure um ginecologista para fazer a avaliação e o controle habitual. Converse com ele sobre o plano de gravidez e peça as orientações necessárias para esse momento, como a necessidade do uso de vitaminas e exames iniciais.

Namore muito
Não adie seu sonho, seu desejo. Se a gravidez é um objetivo dos dois e a saúde está bem, namore sem contar os dias e sem usar métodos contraceptivos. Há uma “janela de fertilização” de aproximadamente cinco dias que é a soma do tempo em que o óvulo e os espermatozoides podem permanecer nas trompas. Por isso, é importante saber calcular o seu período fértil, que começa cerca de 14 dias antes da próxima menstruação. Exemplo: mulheres que têm ciclos de 30 dias ovulam em torno do 16º dia, assim, o “namoro” deve acontecer entre o 13º e o 18º dia. Se o ciclo menstrual é irregular, peça auxílio ao seu médico para identificar o período ideal.

Cuide do lado emocional
A ansiedade é natural entre aqueles casais que aguardam a chegada do bebê, mas pode interferir na tranquilidade necessária para o momento. A cada mês, um casal que namora no dia certo tem 20% de chances de êxito na fecundação do óvulo – esse percentual reduz para mulheres com idade a partir de 35 anos. Por isso, é preciso também um pouquinho de paciência. Então, tente manter uma rotina saudável e concentre suas energias em outras atividades para que a gestação não seja o único foco.

gravidez

Zika Vírus
O Zika Vírus tem tirado o sono das mulheres que desejam engravidar. Mas, não é preciso evitar ou atrasar esse sonho, basta assumir uma conduta de prevenção à contaminação. Além de combater a proliferação do inseto transmissor em casa, eliminando o acúmulo de água parada, é preciso adotar medidas individuais em seu cotidiano, como o uso regular de repelente; a utilização de roupas que protejam braços e pernas sempre que visitar as localidades de maior presença do mosquito; e a utilização de telas nas janelas, mosqueteiros nas camas e ventilador ou ar condicionado no quarto, ao dormir. Outra recomendação importante é a utilização de preservativos durante as relações sexuais na gravidez, devido a possibilidade de transmissão por via sexual.

Busque ajuda especializada
Cada pessoa tem uma fisiologia própria e o tempo para a concepção pode variar, por diferentes motivos. Se as coisas não saíram como você imaginou e a gravidez está demorando para acontecer, procure o auxílio de médicos especializados em medicina reprodutiva. Eles poderão te ajudar a entender as particularidades e possibilidades para a realização desse sonho. Estudos indicam que o tempo máximo de espera para mulheres até 35 anos é de 1 ano, e acima dessa faixa etária é de 6 meses. Caso não consiga engravidar após esse período, procure orientação médica.

Escolha o momento certo
Para aquelas mulheres que precisam adiar o desejo da maternidade por escolha ou algum outro motivo, há a possibilidade de congelar os óvulos e utilizá-los no futuro, mantendo a chance atual, mesmo com o passar dos anos.

468 ad