Confira os alimentos que você deve eliminar de sua dieta!

Manter uma dieta saudável pode ser um desafio, não é mesmo? Além das muitas tentações, a rotina corrida nem sempre favorece os bons hábitos alimentares. Para piorar, cada vez mais nos deparamos com alimentos ditos “fit” mas que, na verdade, escondem venenos para a saúde em sua composição.

Atualmente, o mito de que o segredo da dieta é ingerir poucas calorias para emagrecer caiu por terra. Já se sabe que essa é uma preocupação que deve estar associada ao valor nutricional e funcional dos alimentos para a manutenção da silhueta e da saúde.

Parece complicado? Pois vou simplificar para você! A seguir, vou mostrar alguns grandes vilões da alimentação e como identificá-los. Acompanhe!

Primeiro passo: fique de olho nos rótulos
Não adianta se apaixonar pelas embalagens e todas as promessas que elas fazem. Para identificar as substâncias “do mal” você precisa checar os rótulos.

A primeira dica é sobre a proporção dos ingredientes. Ela aparece em ordem decrescente, ou seja, aquele com maior quantidade aparece primeiro e assim por diante. Fique atento, também, aos valores nutricionais, os quais se referem, normalmente, à porção e não ao conteúdo total.

Preste atenção em valores elevados dos seguintes ingredientes:

– Farinhas refinadas ou enriquecidas (que não são 100% integral);

– Açúcares em suas diferentes formas (glicose, frutose, xaropes, dextrose, maltose, lactose, entre outras);

– Gorduras hidrogenadas e gorduras trans;

– Sódio;

– Adoçantes, corantes e aromatizantes artificiais, estabilizantes, conservantes, acidulantes e antioxidantes.

O consumo excessivo dessas substâncias inflama o organismo, altera os índices de glicose no sangue, contribui para a obesidade e está associado a uma série de distúrbios e doenças. Por exemplo, as cardiovasculares, o diabetes e diferentes tipos de cânceres.

Quanto mais processado pela indústria é o alimento, maior é a quantidade de aditivos químicos em sua composição, a fim de garantir uma longa validade, realçar o sabor, o aroma, as cores… Ou seja, mais distante ele está de ser um alimento natural. Uma dica simples para identificar esses ultraprocessados é a extensa lista de ingredientes.

Mas, afinal, quem são esses vilões?
A seguir, você verá uma lista de alimentos que contêm, em sua composição, várias das substâncias que mencionei anteriormente. Confira:

– Biscoitos recheados, leite condensado, bolos, donuts e pães produzidos com farinha branca;

– Balas e doces, cereais açucarados, farinha láctea, barrinhas de cereais e sorvete;

– Refrigerantes e sucos de caixinha;

– Pizzas e massas congeladas;

– Carnes processadas, embutidos e defumados, como salames, peito de peru, bacon, salsicha e nuggets de frango;

– Margarina, maionese e requeijão (inclusive o light);

– Batatas fritas e salgadinhos de milho ou de batata, macarrão e sopa instantâneos;

– Produtos enlatados, molhos e temperos artificiais.

Vale reduzir ao máximo, ainda, os alimentos considerados “calorias vazias”, isto é, que não têm qualquer valor nutricional, como bebidas alcoólicas, refrigerantes, balas e chicletes dietéticos.

Como escolher o que comer?
A recomendação é que você prefira sempre os alimentos in natura: verduras, legumes, raízes, cogumelos, frutas (preferencialmente os orgânicos, livres de agrotóxicos), carnes frescas, grãos integrais, castanhas, ervas e temperos naturais.

Mantenha esses alimentos como protagonistas em sua alimentação. Assim, um abuso de vez em quando não comprometerá sua dieta e sua saúde!

Siga firme em seu propósito e não se esqueça de contar com a orientação de um nutrólogo para manter o peso e a saúde. Até a próxima!

468 ad