Cultura na praça

Para os moradores do bairro Dona Clara, na região da Pampulha, a Praça Albert Sabin (Rua Deputado José Raimundo com Avenida Sebastião de Brito) começa a se tornar um palco de atrações. No mês de maio, logo após ser adotada por meio do Programa Adote o Verde, o espaço sediou o 1º Encontro Literário na Praça, que reuniu crianças, jovens e idosos.

A ideia do evento foi da artesã Hilda da Silva de Souza, uma figura conhecida no bairro pelo dinamismo e pela alegria. Por meio do programa Adote o Verde, Hildinha, como gosta de ser chamada, tornou-se parceira da Prefeitura de Belo Horizonte como adotante da Praça Albert Sabin. A parceria foi oficializada em 12 de maio passado.

No evento literário, as pessoas puderam trocar e doar livros, além de receber incentivo para desenvolver o hábito da leitura. Na opinião de quem compareceu, o encontro foi um sucesso. A costureira Neide Maria Bacelar, de 78 anos, disse que sempre participa das atividades realizadas pela adotante da praça. “Esse tipo de evento ajuda as pessoas a saírem de casa, de suas rotinas, para um bate-papo descontraído, promovendo interação e lazer. Traz também um pouco de diversão para a criançada.” Afirmou. Maria Luzia, 61, concorda. “Acho importantes esses encontros na praça, porque trazem lazer e descontração aos moradores do entorno e da região,” disse.

Servidora da Prefeitura de Belo Horizonte, com o cargo de analista de políticas públicas na Gerência de Manutenção da Regional Pampulha, Maria Aparecida Lima prestigiou o encontro e elogiou a atitude da adotante. “Percebi a grande alegria da Hilda, o carinho que ela tem na forma como cuida da área, sua atenção e preocupação com as pessoas que frequentam o espaço. O interessante é que essa iniciativa atrai as pessoas que buscam lazer, descontração, bate-papo e diversão para as crianças.”

Comunidade do Dona Clara prestigia evento na Praça Albert Sabin
Comunidade do Dona Clara prestigia evento na Praça Albert Sabin

Palestras, cursos e muito mais

Hildinha conta que a proposta dela como adotante vai além de cuidar das árvores e dos jardins da praça. “Minha ideia é atrair os moradores do entorno da praça e de outros locais para usarem o espaço público como forma de lazer, além de conscientizar a população da importância da preservação e cuidados com o Meio Ambiente,” falou.

Segundo ela, o projeto não para por aqui. “Quero contribuir para a transformação da realidade da vida dos moradores da nossa comunidade. Minha prioridade é buscar meios para dar uma melhor qualidade de vida à população através de palestras educativas, cursos de artesanatos e bordados, cultura, esporte, lazer, diversões e participação da população em eventos de caráter cultural. Seria tão bom que cada uma das pessoas pudesse preservar as nossas praças e parques,” concluiu.

Para a analista Maria Aparecida, esse tipo de iniciativa é importante porque pode atrair novos parceiros para o município e contribuir para que os adotantes das outras praças se sintam incentivados, além, é claro, de atrair a população aos espaços públicos e promover a conscientização de cuidar bem do Meio Ambiente.

Evento atrai crianças e adultos
Evento atrai crianças e adultos

Adote o Verde – Plantando vida

O programa é uma parceria entre a Administração Municipal, a iniciativa privada e a comunidade em geral, com o objetivo de viabilizar a implantação e, principalmente, a manutenção de parques, praças, jardins, canteiros centrais de avenidas e demais áreas verdes públicas da cidade. Atualmente existem 378 áreas adotadas, entre praças e parques, e 849 disponíveis para adoção. Qualquer pessoa física ou jurídica pode participar. Para isso, basta procurar a Secretaria de Administração Regional de sua região.

Andrea Moreira – Da Regional Pampulha

468 ad