Descanse em paz, gênio!

Há exatamente um ano a música brasileira perdia Flávio Basso, o grande Jupiter Maçã ou Jupiter Apple.

Difícil apontar um gênio da estatura dele na música brasileira dos anos 90 para cá. Talvez Chico Science.

Basso foi o fundador de dois grupos marcantes do rock gaúcho, o TNT e Os Cascavelletes.

Um momento icônico do período dos Cascavelletes é 100% punk. No programa da Angélica, diante de crianças, ele canta a faixa “Eu Quis Comer Você”. Surreal para os tempos de hoje, não?

E, ainda por cima, enfatiza o título para cima da apresentadora. Veja o vídeo abaixo.

Após o início roqueiro de estilo rebelde e ainda ingênuo, Basso transformou-se em Jupiter Maçã, ou Apple, e voou para uma carreira solo genial.

O álbum “A Sétima Efervescência”, de 1997, está entre os 100 melhores da música brasileira, segundo a revista Rolling Stone, e tem clássicos como “Eu e Minha Ex” e “Miss Lexotan 6mg garota”, além, claro, do hino “Um Lugar do Caralho” (veja no vídeo).

Enquanto “Plastic Soda” (1999) tem uma pegada bem Bossa, “Hisscivilization” (2002) é a obra-prima da psicodelia e do experimentalismo, um trabalho que o coloca ao lado de gênios como Syd Barret. Sacaí!

O álbum “A Tarde na Fruteira” foi lançado primeiramente na Espanha, em 2007, e somente depois no Brasil, em 2008. No single ‘Modern Kid’, de 2009, Jupiter surge com uma imagem que evoca tanto Marlon Brando como David Bowie. Confira!

Como todo gênio autodestrutivo do rock, Jupiter teve um fim triste. Viajou numa onda de drogas, teve cirrose. Morreu de falência múltipla de órgãos, aos 47 anos, no dia 21 de dezembro de 2015.

A degradação podia ser notada a cada entrevista, uma mais maluca que a outra nos últimos tempos de vida dele. Talvez esta, concedida a Rogério Skylab, seja a mais bizarra. Veja.

Descanse em Paz, mestre.

468 ad