Dores do mundo

O que é dor?

Atualmente, utilizamos a definição que a sociedade internacional de estudos em dor apresenta: “Dor – Experiência sensitiva e emocional desagradável associada ou relacionada à lesão real ou potencial dos tecidos. Cada indivíduo aprende a utilizar esse termo através das suas experiências anteriores.” IASP -International Association for the Study of Pain.

Na medicina, a dor se relaciona com uma sensação de desconforto, angústia e, talvez, agonia, dependendo da gravidade da mesma. A dor pode ser constante ou intermitente. Pode se apresentar com diversas características, tais como: latejante, pulsante, queimação, como sensação de beliscão ou apunhalamento. Apenas a pessoa que está experimentando a dor pode descrevê-la corretamente. Portanto, é uma experiência muito individual.

O NIH (National Institutes of Health – Instituto Nacional de Saúde) estima que os problemas de saúde pública da dor afetam um terço da população da América a um custo entre US$ 560 bilhões e US$ 635 bilhões a cada ano.
A British Pain Society (Sociedade Britânica da Dor) citou o “Chief Medical Officer” da Inglaterra, o qual afirmou que, anualmente, mais de cinco milhões de pessoas no Reino Unido podem desenvolver dor crônica.

Tipos de dor

1 – Dor aguda: serve como sistema de segurança/alerta para o indivíduo de que algo não está bem. É um sintoma, uma reação. Dura um tempo determinado, geralmente, menos de três meses. Não é contínua ou regular e surge de repente. Existe um caso bem determinante, como entorse do tornozelo quando se está jogando bola; pedra nos rins; dor forte no peito, que pode indicar um infarto; dificuldade na respiração, que pode ser causada por uma pneumonia.

2- Dor crônica: pode ser sintoma de doenças existentes ou não ter qualquer causa demonstrável em exames, sendo, portanto, a própria doença. É mais duradoura. Pode ser contínua, ter períodos regulares ou crises intermitentes, com duração superior a três meses. Além de medicação prescrita por médico, geralmente com analgésicos, é comum necessitar de antidepressivos, pois a dor atinge o lado psicológico do paciente, já que o imobiliza ou afeta seu cotidiano. É preciso um tratamento não apenas com remédios, mas com uma equipe multidisciplinar que estude as causas físicas e psicológicas da dor. Podemos citar como exemplos: dor na coluna lombar, alguns tipo de dor de cabeça (enxaqueca), dor do câncer e a do nervo ciático.

468 ad