Dormência nas mãos

Bom, como todos já sabem, acabamos de passar pelo Dia das Mães, então nada mais justo que falar dessa patologia muito comum em um momento muito importante para as mulheres, que é a gravidez ou o período após a mesma.

Uma queixa muito comum nos consultório ortopédicos é a dormência nas mãos, que muitas vezes atrapalha a mulher a dormir. Na maioria das vezes essa dormência é causada pela Síndrome do Túnel do Carpo (STC).

A STC é definida pela compressão ou tração do nervo mediano no punho. É a mais frequente das síndromes compressivas (compressões de nervos). É mais comum em mulheres, em uma proporção de 4:1, em faixa etária de 40 a 60 anos.

O túnel do carpo é um espaço existente no punho, entre estruturas como ligamentos, fáscia e os ossos do punho. Nesse túnel passam: nervomediano, tendões flexores superficiais dos dedos, tendões flexores profundos dos dedos e o flexor longo do polegar.

O nervo mediano é responsável pela sensibilidade na face palmar, dos dedos polegar, indicador, médio e a metade do anular. No dorso da mão, ele inerva as últimas falanges do três primeiros dedos. Quando se tem uma compressão desse nervo, ocorre a síndrome do túnel do carpo.

A causa mais comum é idiopática (surgido espontaneamente ou de causa obscura ou desconhecida), porém pode ser desencadeada por gravidez, trabalhos manuais forçados, doenças que causam inchaços no corpo, alterações na anatomia, sequelas de fraturas no punho e uso de hormônios, como o GH.

Os sintomas são: dormência ou formigamento na mão (principal), dor, queimação, com predominância em período noturno. Quando a doença está mais avançada,pode ocorrer fraqueza na mão, principalmente na base do polegar.

O diagnóstico é feito pelo exame físico, com testes, e pode ser confirmado por exames específicos, como a Eletroneuromiografia (um exame no qual são feito testes da condução dos nervos com choques provocados, de baixa intensidade).

Esse exame é sempre feito dos dois lados e o parâmetro mais importante, sensível e de ocorrência mais precoce na STC é a redução da velocidade de condução sensitiva através do punho.

O tratamento da STC depende da duração e intensidade do quadro clínico. O tratamento conservador representa, na maioria dos casos, a primeira alternativa, principalmente em pacientes portadores de síndromes dolorosas noturnas, sem comprometimento sensitivo ou motor importantes.

Consiste inicialmente em evitar situações que precipitem a dor, como os movimentos de flexão e extensão, que induziriam um aumento da pressão no interior do túnel do carpo, como nos trabalhos manuais.

Isso é obtido pela imobilização do punho com tala por 2 a 4 semanas, de uso predominante no período noturno. Paralelamente, deve-se tentar identificar e tratar possíveis doenças sistêmicas que levem à compressão do nervo.

Pode-se fazer infiltração no túnel do carpo com corticóides, fisioterapia com ondas de choque e medicação oral. Em pacientes grávidas, geralmente a fisioterapia tem ótimos resultados.

O tratamento cirúrgico está indicado em pacientes que mantêm os sintomas, apesar do tratamento conservador, ou que apresentem sinais de comprometimento importante do nervo, como comprometimento da sensibilidade, fraqueza da musculatura inervada e atrofia da musculatura. A cirurgia é simples e a recuperação é rápida.

Se você tem dormência nas mãos ou perda de força, procure um ortopedista ou neurocirurgião.

468 ad