Espetacular!

Belo Horizonte vai sediar um projeto inédito no Brasil. A Cidade do Circo será o primeiro centro de referência do circo do país, com o desenvolvimento de ações formativas e a produção e exibição de espetáculos circenses.

A Fundação Municipal de Cultura e a Rede de Apoio ao Circo celebraram na tarde dessa segunda-feira (26) um termo de cooperação técnica entre as instituições para a instalação da Cidade do Circo no espaço da antiga Estação da Gameleira. Assinaram o termo o presidente da FMC, Leônidas Oliveira, e a fundadora da RAC, Sula Kyriacos Mavrudis.

O termo prevê a cessão de um terreno de cerca de 12 mil metros quadrados, além da própria Estação Ferroviária da Gameleira, pelo período de 25 anos, à Rede de Apoio ao Circo. A antiga Estação Ferroviária, tombada pelo patrimônio municipal, será restaurada para abrigar a sede do projeto. As obras têm previsão de início para dezembro de 2016.

No local, o projeto prevê a disponibilização de um espaço para um circo itinerante, a instituição de uma Escola Municipal de Circo, um núcleo de cinema para produção de filmes e documentários, a criação de uma biblioteca e videoteca especializadas, com amplo acervo de livros, jornais, fotos e histórico das famílias que construíram suas trajetórias em torno do circo.

A Fundação Municipal de Cultura também poderá desenvolver no local ações e projetos na área de circo.

Sula Kyriacos e Leônidas Oliveira durante a assinatura do termo de cooperacão
Sula Kyriacos e Leônidas Oliveira durante a assinatura do termo de cooperacão

“Estamos muito felizes com este momento e queremos fazer mais, poder num futuro próximo encontrar mais terrenos que possam servir ao circo e aos artistas circenses para que esta modalidade artística esteja cada vez mais presente na vida dos belo-horizontinos”, afirma Leônidas Oliveira.

Para Sula Kyriacos Mavrudis, fundadora da Rede de Apoio ao Circo, entidade que visa preservar e incentivar atividades e artistas tradicionais circenses, o apoio da Fundação Municipal de Cultura foi fundamental para que o projeto da Cidade do Circo fosse adiante.

“Hoje é realmente um dia histórico para o circo, não só em Minas, mas também no Brasil. É uma ação exemplar da prefeitura de Belo Horizonte e da Fundação Municipal de Cultura, e a gente espera que estimule outras iniciativas e que se desdobrem outras ações. Com a Cidade do Circo nós vamos concentrar em um lugar só todas as ações da área de circo desenvolvidas pela própria FMC e pela Rede de Apoio ao Circo, além de dar apoio aos grupos, trupes e associações. Nós vamos estar juntos, num espaço único, fortalecendo a luta do circo no país”.

A Rede de Apoio ao Circo

Fundada em 5 de março de 1986, a RAC desenvolve uma série de ações que objetivam resgatar, recuperar, preservar, apoiar e incentivar as atividades dos artistas tradicionais circenses, implementando novas possibilidades de trabalho e geração de renda dentro do próprio circo, ao mesmo tempo, mostrando-lhes os seus direitos como cidadãos, abrangendo saúde, educação, trabalho, profissionalização e previdência social.

A RAC também ajuda os artistas a acessar as atuais formas de fomento à cultura e dá visibilidade às dificuldades enfrentadas pelo setor para sensibilizar a sociedade e conquistar políticas públicas para a área do Circo.

468 ad