Estiramento muscular

Na próxima semana o Brasil jogará mais uma rodada das eliminatórias da Copa 2018, porém não poderá contar com o lateral-esquerdo Marcelo e o atacante Douglas Costa, cortados da Seleção devido a lesões musculares.

Tão conhecida pelos jogadores de futebol, essas lesões são comuns no esporte, estando relacionadas, principalmente, a estiramentos musculares, que ocorrem quando o músculo é submetido a uma tração excessiva levando à sobrecarga e consequente lesão.

Muitas vezes, vemos nos noticiários que um jogador sofreu uma lesão grau I, grau II ou grau III. Mas, o que isso quer dizer? Essa é uma classificação dos estiramentos de acordo com as dimensões da lesão.

No grau I, o estiramento acomete uma pequena quantidade de fibras musculares; no grau II, o número de fibras lesionadas e a gravidade da lesão são maiores; e no grau III, geralmente ocorre uma ruptura completa do músculo ou de grande parte dele.

Alguns fatores podem estar relacionados a esse tipo de lesão, como as deficiências de flexibilidade, as lesões musculares pregressas e fatores relacionados ao treinamento, como aquecimento inadequado, técnica incorreta, sobrecarga e fadiga muscular.

A dor súbita e localizada durante um movimento brusco é a principal característica do estiramento muscular. Essa dor, geralmente, interrompe o movimento e, algumas vezes, pode ser acompanhada de um estalido audível ou de uma sensação de pedrada.

O diagnóstico deve abranger uma história e exames clínicos adequados, baseados em queixas de dores localizadas, dores à contração muscular e à palpação. O exame da ultra-sonografia complementa o diagnóstico.

Os princípios do tratamento das lesões musculares na fase aguda seguem o que os ortopedistas chamam de método PRICE: Proteção, Repouso, gelo (Ice), Compressão local e Elevação do membro acometido. Além disso, são prescritos anti-inflamatórios e fisioterapia, que irá auxiliar na recuperação muscular.

Os critérios para o retorno ao esporte são a flexibilidade e força semelhantes ao membro contralateral, amplitude de movimento normal e ausência de dor.
A prevenção da lesão envolve, principalmente, o aquecimento muscular.

Outros fatores incluem hidratação adequada, fortalecimento muscular e reequilíbrio muscular. O alongamento é controverso, pois, segundo alguns autores, causaria diminuição da força e da velocidade de contração muscular.

468 ad