Eternizados

O Viva Pampulha traz em primeira mão as imagens do monumento “Eterna Modernidade”, a ser oficialmente inaugurado em solenidade da prefeitura de Belo Horizonte, nesta terça-feira (13), no Mirante Bandeirantes, em frente à Casa Kubitschek, na orla da Lagoa da Pampulha.

Trata-se de uma homenagem aos protagonistas na realização do conjunto moderno da Pampulha, a Igreja São Francisco de Assis, o Museu de Arte, a Casa do Baile e a antiga sede do Iate Clube. O conjunto foi reconhecido como patrimônio cultural da humanidade pela Unesco em 17 de julho deste ano.

O monumento consiste em quatro esculturas de bronze, imortalizando o então prefeito Juscelino Kubitschek, o arquiteto Oscar Niemeyer, o artista plástico Cândido Portinari e o paisagista Roberto Burle Marx. A obra é da escultora Vânia Braga, com participação também do escultor Diego Rodrigues.

O trabalho recria uma cena ocorrida no mesmo local, em 1942, com o quarteto discutindo os detalhes da concepção do projeto da Pampulha. Romanceada, a escultura traz Juscelino apontando em direção ao Iate Clube, Casa do Baile e MAP, enquanto Niemeyer e Burle Marx seguram o mapa da lagoa. Portinari está sentado em um banco, observando os colegas e com um trabalho às mãos – uma pintura de autoria dele, de um peixe, que encontra-se  no Iate Clube.

O monumento pesa cerca de 600 quilos. Casa escultura tem 150 quilos, em média.  A reportagem do Viva Pampulha presenciou o momento da montagem do monumento no mirante. A equipe responsável fez um trabalho de limpeza, preparando a obra para a solenidade desta terça-feira. Confira o vídeo abaixo.

A artista Vânia Braga, que levou quatro meses para realizar o trabalho, acompanhou tudo de perto. Orientada pela prefeitura, ela não pôde conceder entrevista e vai falar somente durante a cerimônia de inauguração.

468 ad