Futebol Mineiro: 8 perguntas que incomodam…

Na semana da grande finalíssima do Mineiro, atrevo-me aqui a discorrer sobre o futebol regional. Incomodam-me um pouco as análises que observo na mídia, nas redes sociais e nas resenhas entre amigos sobre os times de Minas, sobretudo de Cruzeiro, Atlético e América.

Acredito que a concentração de rivalidade que existe entre Atlético e Cruzeiro, o fanatismo observado entre os torcedores, transcende o terreno da análise real e técnica que deveria nortear qualquer tipo de avaliação das equipes e da perspectiva do trabalho esportivo para o ano de 2017.

A briga entre as equipes de Minas deveria se restringir apenas às quatro linhas; manter, sim, a saudável rivalidade entre as equipes, e só… Alguns dirigentes e jornalistas esportivos também têm sua parcela de culpa pelas atitudes e posturas adotadas diante desta rivalidade. Reforçam o comportamento que paira sobre a cidade, aumentando ainda mais a ira entre torcedores.

A mídia, em geral, não levanta questionamentos sobre aspectos positivos que poderiam ser alavancados com a integração dos clubes de BH para a promoção do desenvolvimento significativo do futebol.

O somatório da grandeza das equipes de Minas deveria ser um fator de peso e relevância para projetar o futebol mineiro num patamar mais elevado. Poder medir forças políticas e econômicas com clubes de São Paulo e Rio só será possível quando houver união e harmonia fora das quatro linhas.

A partir do momento em que esta rivalidade impera, levanto algumas questões que deveriam ser analisadas de forma mais séria e responsável:

1) Presença de torcida única em clássico?
2) Participação com equipe titular no Campeonato Mineiro?
3) O Independência é o melhor local para se disputar a final?
4) Há subutilização de jogadores da base?
5) É necessário Cruzeiro e Atlético terem seus estádios próprios?
6) A divulgação das marcas e o marketing estão alinhados com a grandeza dos clubes?
7) A captação de atletas pelos clubes de Minas deveria ser reorganizada e direcionada para um projeto em parceria com as escolas?
8) Os preços de ingressos para jogos deveriam ser adequados à participação de uma população mais carente?

Enfim, o futebol é muito mais que esta rivalidade que muitas vezes nos leva a caminhos ásperos e cheio de espinhos.

Precisamos nos enxergar com um potencial muito maior no terreno do futebol e nos prospectarmos para um patamar acima do que estamos! Com a camisa que estes clubes conquistaram em suas respectivas histórias é necessário trilhar um caminho em terrenos mais sólidos e serenos!

Vamos deixar o orgulho e a intolerância de lado e mover ações políticas que coloquem o futebol mineiro numa base mais robusta e promova consequentemente a qualidade de vida do povo de Minas!

468 ad