Galo trilegal

Enquanto o Atlético ficou mais próximo da segunda final da Copa do Brasil da história dele, o Cruzeiro ficou mais distante do sonho do penta. A 1.712 quilômetros de Belo Horizonte, o Galo mandou bem em terreiro gaúcho e venceu o Internacional por 2 a 1 no jogo de ida da semifinal. Já no Mineirão, o Grêmio, que também almeja o quinto título do torneio nacional, aplicou 2 a 0 na Raposa, construindo uma vantagem que o deixa perto da decisão.

A vitória gremista foi incontestável. Embora tenha esboçado algo insinuante no início, com a movimentação de Arrascaeta e a presença de Ábila na área, o Cruzeiro tomou um nó tático do Grêmio em pelo menos 80% do jogo. O técnico Renato Portaluppi engoliu Mano Menezes.

Em Porto Alegre, na Arena Beira-Rio, o Atlético saiu na frente com Otero e levou o empate – William deixou tudo igual. Mas Lucas Pratto, já no fim, aos 44 minutos do segundo tempo, deixou o Galo no rumo do bi, fazendo 2 a 1. Campeão em 2014, o time vai jogar por empate ou até derrota por 1 a 0 para garantir-se na decisão. O jogo de volta está marcado para a quarta-feira 2 de novembro.

A missão do Cruzeiro ficou muito, muito complicada. O Grêmio mereceu com sobras a vitória por 2 a 0 no Mineirão. No duelo pelo sonho do penta, o time gaúcho adquiriu enorme vantagem. Pode até perder por 1 a 0 ou dois gols de diferença,  a partir de 3 a 1, que vai para a final.

Por ora, o embate entre Minas e Rio Grande do Sul nesta semifinal está empatado.

Cruzeirenses não tiveram um noite feliz contra o Grêmio no Mineirão
Cruzeirenses não tiveram um noite feliz contra o Grêmio no Mineirão
468 ad