Gelo ou compressa quente: qual e quando usar?

O calor e o frio têm efeitos opostos sobre o nosso corpo. Enquanto o gelo tem propriedades de diminuição de temperatura local, anestésicas, analgésicas (que diminuem dor), de diminuição de vermelhidão local e de espasmo dos vasos, o calor aumenta a circulação na região, aumenta a temperatura na região e relaxa musculaturas em contração.

Os estudos já mostram evidências na Grécia e Roma antigas do uso de gelo e neve para fins medicinais. Naquela época, eles já sabiam que os soldados voltavam às batalhas em um tempo menor com uso do gelo. A verdade é que realmente ajuda nos tratamentos e no retorno precoce a atividades físicas.

Quando se sofre um trauma, a região afetada pode apresentar microrupturas de vasos. Quando esses vasos se rompem, geralmente hematomas se formam e, consequentemente, o edema (inchaço local) e/ou aumento de temperatura.

Nessa hora, o gelo é muito eficaz pelas propriedades descritas anteriormente. Deve ser aplicado no local do trauma, por cerca de dez a quinze minutos. Vale lembrar que o gelo pode causar queimaduras na pele, portanto devemos proteger sempre a pele, de preferência usando toalhas ou panos entre a pele e o gelo.

Existem vários tipos de resfriadores, como o próprio gelo, bolsas de gel congeladas, bolsas nas quais se coloca água gelada, spray que resfriam, imersão em água gelada e bolsas com reações químicas. Não há evidência científica quanto a maior eficácia de algum desses, porém o importante é cobrir toda a área afetada ou de dor.

O calor é importante quando se tem contratura muscular, pois provoca o relaxamento da musculatura em tensão, além de aumentar a circulação local. Vocês já ficaram bastante tempo em uma banheira de hidromassagem? Pois é, quando a gente sai, não dá uma impressão de exaustão? É o relaxamento da musculatura.

Nos pacientes em uso de medicação, pela dilatação dos vasos, aumenta a chegada da mesma através da circulação e, consequentemente, causa efeito mais rápido para a mesma. O ideal é o uso por cerca de 30 minutos, cobrindo a região afetada, no mínimo três vezes ao dia, para bons resultados.

Algumas regras básicas, apenas para consulta rápida:

– Pancadas e traumas agudos: gelo o mais rapidamente possível
– Após 48h de trauma: pode-se usar os dois – muitos ortopedistas usam calor após 48h, porém não é regra. Pessoalmente, não uso.
– Dor lombar: compressa quente
– Entorses: gelo
– Artrites: gelo
– Tendinites ou bursites: gelo
– Cãibras e espasmos: compressa quente
– Torcicolo: compressa quente
– Crises de gota: gelo

Vale ressaltar que as compressas, usadas como único tratamento, poucas vezes levam à melhora completa das patologias. É importante sempre consultar um especialista, nesse caso um ortopedista, para que o tratamento seja feito da forma correta e com todos os recursos, para que você possa melhorar dos sintomas e retornar às atividades físicas o mais rapidamente possível.

468 ad