Tributo de penta

Na prova em que garantiu o pentacampeonato da Volta Internacional da Pampulha, neste domingo (4), o mineiro Giovani dos Santos, de 35 anos, dedicou a vitória às vítimas da tragédia do voo da Chapecoense. Assim como muitos dos 15 mil corredores que homenagearam a Chape nesta 18ª edição da corrida, o campeão correu com um escudo do clube na camisa, com direito a faixa de luto e a imagem da mascote Condá.

Com o tempo de 52’55, exatamente 20 segundos à frente do segundo colocado, o queniano Paul Koech Kimutai, 24, Giovani cruzou a linha de chegada sorrindo.

“É o sorriso que Deus me deu. Feliz por poder dar essa alegria ao povo brasileiro, que hoje está em luto. Essa vitória eu dedico a todo o time da Chapecoense, aos atletas, que agora estão morando com Papai do Céu”, disse o corredor.

Giovani também fez questão de homenagear os familiares das vítimas.

“Às vezes é difícil entender, mas a gente que é atleta é sujeito a tudo isso. Então, a gente que está viajando, tem de rezar e pedir a Deus. Não é fácil. Gostaria de mandar essa vitória para os familiares, porque não é fácil. Pra gente já é difícil de entender, imagina para os familiares desses atletas. Chapecó, isso aqui é para vocês”, ofereceu o pentacampeão.

Antes da largada do pelotão geral, às 8h, os organizadores prestaram uma justa homenagem às vítimas do acidente com o voo na Colômbia, que reunia jogadores da Chapecoense, jornalistas e a tripulação. O diretor de prova, Manuel Garcia Arroyo, leu um texto de homenagem. Também foi feito um minuto de silêncio, deixando a todos bastante comovidos.

Muitos dos participantes prestaram algum tipo de homenagem às vítimas do trágico voo, como Omar e os integrantes do grupo de corrida dele, a equipe Omarathon Sports. Todos correram com uma camiseta verde e branca com o escudo da Chapecoense e a incrição “Deus abençoe. #FORÇACHAPE”.

“Fizemos dez camisas para realizar esta homenagem”,  disse Omar.

O capixaba Hélio Gonçalves exibiu uma faixa com os seguintes dizeres ao cruzar a linha de chegada: “Minha homenagem aos chapecoenses. Força Chape!!”.

“Para mim, hoje, não imoportou o meu tempo nem meu resultado na corrida. O que importou foi esta homenagem. Corri por eles. É o mínimo que merecem”, disse ele.

O grupo Corredores Amigos do Parque do Sabiá, de Uberlândia, também exibiu uma faixa de apoio à Chapecoense, bem como vários  outros participantes que correram com a camisa do clube catarinense ou om uma fita simbolizando o luto.

Mulheres

Terceira colocada n o ano passado, a brasileira Joziane da Silva Cardoso chegou mais perto desta vez. Ela terminou em segundo lugar, 19 segundos atrás de Angelina Tsere, da Tanzânia. Confira, abaixo, os cinco primeiros colocados da elite masculina e da elite feminina.

Masculino
1) Giovani dos Santos (BRA), 52min55seg
2) Paul Kimutai (QUE), 53min15seg
3) Augustine Sulle (TZA), 53min34seg
4) Mathew Cheboi (QUE), 53min45seg
5) Eluya Sidame (TZA), 53min47seg

Feminino
1) Angelina Tsere (TZA), 1h02min04seg
2) Joziane Cardoso (BRA), 1h02min23seg
3) Leah Jerotich (QUE), 1h02min31seg
4) Valdilene Silva (BRA), 1h03min35seg
5) Andeia Hessel (BRA), 1h03min38seg

Angelina Tsere, da Tanzânia, cruza a linha de chegada em primeiro lugar
Angelina Tsere, da Tanzânia, cruza a linha de chegada em primeiro lugar
468 ad