Lesão dos meniscos

O que são os meniscos?
São estruturas fibrocartilaginosas em formato de meia lua, de consistência, dureza e rigidez semelhante à de uma borracha, que ficam no interior dos joelhos. Em cada joelho, existem dois meniscos, o medial (do lado interno do joelho) e o lateral (do lado externo do joelho). Têm as funções de transmissão de carga, absorção de choque, estabilidade articular, nutrição da cartilagem, lubrificação articular e condução dos movimentos.

Qual é a população que está sob risco de lesão dos meniscos?
A incidência das rupturas meniscais, nos Estados Unidos da América, é de 61 casos por cem mil pessoas. A incidência total entre homens e mulheres é aproximadamente de 2.5:1, com pico de incidência da ruptura meniscal, em homens com idades entre os 31 e os 40 anos. Por sua vez, o sexo feminino apresenta um pico de incidência entre os 11 e 20 anos de idade.

Os indivíduos com idade superior a 65 anos apresentam uma taxa de incidência de rupturas degenerativas meniscais de 60% (American Academy of Orthopaedic Surgeons). Nos jovens, as lesões são relacionadas a eventos traumáticos, como entorses ou outros movimentos bruscos (rápidos), que apresentam mudança na direção de deslocamentos e não habituais do joelho.

Qual o sintoma do paciente com lesão do menisco?
Dor, que normalmente se localiza nas laterais do joelho (interna ou externa, dependendo do menisco lesionado) e o bloqueio do joelho. Esse último sintoma é causado pelo deslocamento do menisco de um lado para outro, o que gera estalos e travamento em certas posições.

Diagnóstico:
O diagnóstico é feito através do relato dos pacientes e do exame físico que apontam para hipótese clínica da lesão dos dois meniscos. A suspeita clínica deve ser confirmada através do exame de ressonância magnética (padrão ouro para lesões de partes moles do joelho).

Tratamento:
Nos pacientes com a chamada lesão degenerativa do menisco, o tratamento conservador (sem cirurgia) costuma dar bons resultados em até 70% dos casos, com o uso de medicações anti-inflamatórias, gelo e fisioterapia. Nos casos em que o tratamento conservador não foi exitoso, a indicação é a cirurgia artroscópica (cirurgia com 2 ou 3 cortes pequenos na frente do joelho) com a remoção do fragmento lesionado do menisco.

Lembrando: consulte sempre um especialista!

Até a próxima!

468 ad