Lesões dos meniscos

Pessoal, como são vários os atletas que acompanham este Viva Pampulha, sejam eles profissionais ou de finais de semana, resolvi escrever sobre essas lesões, muito comuns em consultórios ortopédicos.

Os meniscos são estruturas fibrocartilaginosas em formato de meia lua, de consistência semelhante à de uma borracha, que ficam no interior dos joelhos. Em cada joelho, existem dois meniscos, o medial (do lado interno do joelho) e o lateral (do lado externo do joelho).

A principal função deles é a de distribuir a carga que passa na articulação e estabilizar o joelho, para ajudar a diminuir a pressão sobre a cartilagem que recobre os ossos no joelho. Uma lesão nos meniscos prejudica essa proteção e expõe a cartilagem ao desgaste, facilitando o processo de artrose na articulação.

Os meniscos estão presos no osso da tíbia, no fêmur (no caso do menisco lateral), entre eles e no ligamento colateral medial do joelho (ligamento da parte interna do membro).

As lesões podem ocorrer em qualquer idade, porém são mais comuns em dois perfis: jovens, praticantes de esportes e pessoas acima dos 50 anos. Nos jovens, as lesões são relacionadas a eventos traumáticos, como entorses ou outros movimentos bruscos. É muito comum as lesões de menisco estarem associadas às lesões ligamentares.

Já no caso dos pacientes mais velhos, as lesões de menisco são degenerativas, causadas pelo desgaste natural e perda das propriedades elásticas dos meniscos.

As lesões meniscais ocorrem mais em homens. Os corredores têm mais lesões degenerativas, assim como os praticantes de esportes, que fazem mudanças bruscas de direção, têm mais lesões agudas. Uma lesão meniscal não tratada, ou tratada incorretamente, pode causar artrose no joelho e outras lesões extremamente dolorosas.

O principal sintoma é a dor, de início após um entorse do joelho, ou ao subir e descer escadas, dobrar o joelho ou agachar-se. Pode ocorrer também bloqueio de movimento, sendo esse causado pelo deslocamento de parte do menisco de um lado para outro, o que gera estalos e travamento do joelho.

Quando há suspeita de lesão, o exame físico é muito importante para o diagnóstico, para que exames complementares não sejam feito sem necessidade. Radiografias auxiliam, em uma primeira avaliação, onde tem-se noção da redução do espaço entre o fêmur e a tíbia, porém o diagnóstico é confirmado na ressonância magnética do joelho.

Os meniscos são estruturas que recebem vascularização sanguínea apenas em seu terço mais periférico, o que é importante na decisão do tratamento mais adequado de lesões.

Nos casos de trauma do joelho, o tratamento normalmente é cirúrgico com a tentativa de sutura (costura) do menisco lesionado por artroscopia. Porém, nem todas as lesões são suturáveis. As lesões fora da zona vermelha (zona que recebe o suprimento sanguíneo – o terço mais periférico do menisco) tem chances menores de cicatrização, portanto a remoção do fragmento deverá ser considerada.

Lesões menores, degenerativas, sem bloqueio mecânico e estáveis, poderão ser tratadas com fisioterapia, fortalecimento e antiinflamatórios, com bons resultados na melhora completa dos sintomas (70% dos pacientes têm melhora). Os transplantes de meniscos também vêm sendo estudados com bastante ênfase, porém ainda não se tornou uma realidade na rotina dos consultórios médicos.

Lembrem-se do que falo muito em minhas colunas: fortaleçam a musculatura antes de praticar atividades físicas de rotina, principalmente nos joelhos, para que possam ter mais estabilidade e menos lesões…

468 ad