O bis do 14-bis

O segundo voo do legendário 14-bis, também conhecido como Oiseau de Proie (francês para “ave de rapina”), completa 110 anos neste sábado. Foi exatamente no dia 12 de novembro de 1906 que Santos Dumont percorreu 220 metros em 21,5 segundos, estabelecendo em Paris o recorde de distância da época. O feito foi registrado pelo Aeroclube da França em um monumento, preservado no campo de Bagatelle.

Neste segundo voo, o 14-bis, na ocasião o Oiseau de Proie III, estava provido de ailerons rudimentares para ajudar na direção. Isto porque no voo de 23 de outubro de 1906, também em Bagatelle, Paris, o então Oiseau de Proie II mostrou-se não totalmente controlável. Foram 60 metros em sete segundos nessa primeira ocasião, a uma altura de aproximadamente dois metros, perante mais de mil espectadores.

Em 14 de abril de 1907, o 14-bis realizaria o último vôo. Após tentativas frustradas de estabilizar a aeronave, Santos-Dumont perderia o controle e bateria contra o chão. Ao invés de reparar o avião, Santos-Dumont preferiu canibalizar as peças do protótipo em outros projetos – seu motor equipou os projetos 15, 16 e 18, e as hélices e as rodas também foram aproveitadas em outros aparelhos.

Le Petit Journal, de Paris, destaca o segundo voo do 14 Bis
Le Petit Journal, de Paris, destaca o segundo voo do 14 Bis
468 ad