O Joanete e o calçado apertado

Vou falar sobre essa patologia que leva o nome de Hálux Valgo, porém é mais conhecida como Joanete. O hálux valgo consiste no desvio do primeiro dedo, na articulação metatarso-falangeana, onde forma-se uma proeminência óssea medial e desvio lateral da ponta do primeiro dedo.

Ocorre um deslocamento dos tendões do pé de seus locais iniciais e há também a rotação dos ossos sesamóides (ossos anexos que ficam abaixo do nosso dedão do pé, na cabeça do metatarso), de forma que o hálux torna- se insuficiente para desempenhar sua principal função que é a de auxiliar toda a base do pé na sustentação do corpo e no desempenho da marcha (caminhada).

Só pra explicar o que é valgo, se fizermos um traçado no meio do nosso corpo, como se fossemos dividi-lo em dois, essa linha seria a linha média. Todo desvio que se aproxima dessa linha é chamado de valgo, logo todo desvio que se afasta da mesma, é chamado de varo.

A principal queixa em relação ao hálux valgo, nos consultórios, não se trata da dor, e sim a deformidade, que forma uma proeminência óssea, que muitos confundem com calo, que se chama Bunion. À medida que vão ocorrendo inflamações nesse local, as partes moles que recobrem o osso vão se tornando mais espessas, o que piora o aspecto do joanete.

É claro que existe dor e inflamação no joanete também! A dor ocorre quando é usado o calçado apertado, na maioria das vezes aliviando quando o mesmo é retirado (vale lembrar que em artrite da primeira articulação do pé, a dor não diminui com a retirada do calçado).

O hálux valgo tem como causa principal o uso de calçados apertados ou saltos muito altos, onde o pé fica muito pressionado em sua parte anterior. Por isso é uma doença mais comum em mulheres. Por outro lado, em populações nas quais não se usa calçados, como índios ou tribos africanas, quase não ocorrem.

A avaliação de um paciente com joanete consiste em observação da marcha, exame físico, estudo radiográfico, com e sem apoio. Raramente são pedidos exames mais específicos, como ressonâncias ou tomografias. Na radiografia, são medidos alguns ângulos, que vão guiar o tratamento. Vale lembrar que, à medida que a patologia vai evoluindo, o tratamento passa a ser mais difícil e mais invasivo.

Nos graus iniciais, pode-se usar um separador de dedos, facilmente encontrado em lojas de material médico ou lojas dos pés. Esse separador tem ótimo efeito na diminuição da progressão da doença, mas apenas quando usado com calçados confortáveis.

Nos graus mais avançados e na falha do tratamento conservador, é indicado o tratamento cirúrgico. Existem mais de 30 técnicas para hálux valgo. Algumas cortam muito osso, outras pouco, mas, em geral, deve-se realinhar o osso para acabar com a deformidade.

Concluindo, se você possui essa deformidade ou usa sapatos apertados o tempo todo, procure um ortopedista, não deixe a doença se agravar, para que não precise passar por uma cirurgia mais complicada…

468 ad