O problema da pesca na Pampulha

Dentre os vários problemas apresentados pela má condição da água da Lagoa da Pampulha, a pesca pode ser considerada especialmente preocupante. Isso ocorre porque os danos relacionados a essa atividade podem atingir as pessoas que pescam e até mesmo aquelas que sequer moram nas redondezas da Lagoa.

Os peixes da Pampulha podem estar contaminados com diferentes substâncias e, como consequência, a pesca é uma atividade proibida no local. Há algumas placas alertando para essa proibição, mas vários pescadores são vistos na orla da Lagoa.

Os peixes mais comumente pescados na Pampulha são tilápias e carpas. Ao serem questionados sobre o destino dos peixes, os pescadores alegam que ingerem uma parte do pescado, mas muitos dizem que comercializam outra parte.

Segundo eles, os peixes são vendidos diretamente para outras pessoas ou até mesmo para estabelecimentos comerciais, sendo que alguns destes estão localizados muito distante da Pampulha. (Confira como atuam alguns pescadores n a lagoa).

Assim, o problema já grave de haver pessoas pescando e ingerindo peixes contaminados torna-se ainda pior quando consideramos que pessoas estão ingerindo esses mesmos peixes sem imaginar qual é a sua origem.

Vários tipos de problemas de saúde são associados à ingestão de metais pesados, como reumatismo, alterações neurológicas, câncer, disfunção renal, hipertensão, anemia etc.

O problema é ainda maior, pois os peixes de ambientes poluídos, como a Pampulha, podem ainda apresentar contaminações por substâncias produzidas por micróbios. Essas substâncias também podem ter efeitos graves no funcionamento dos organismos.

É comum que os pescadores aleguem que sempre ingerem peixes da Lagoa e não passam mal. Porém, o problema é que muitos efeitos mais graves não surgem imediatamente após a ingestão. Esses efeitos geralmente dependem de um consumo dos peixes contaminados por várias vezes ao longo de anos.

A fiscalização em relação a essa atividade deve ser rigorosa, pois corresponde a um problema de saúde pública. É importante passar a informação de forma clara a quem pesca e também averiguar o comércio desses peixes, que deve ser impedido.

468 ad