Probióticos

Os probióticos são compostos de bactérias e leveduras que, quando ingeridas, levam à colonização do intestino. A ideia de que ingerir bactérias pode melhorar a saúde foi introduzida no inicio do seculo XX, quando se percebeu que pessoas que ingeriam leite fermentado regularmente viviam mais.

A organização mundial de saúde define os probióticos como “microorganismos vivos que, quando administrados na quantidade adequada, conferem benefício ao organismo.” Então, para serem utilizados eles têm que ter efeitos benéficos para saúde, gerar bem-estar e se mostrarem seguros para uso a longo prazo.

Esses produtos atuam promovendo uma flora intestinal saudável e diminuindo a flora “doente”. O trato digestivo humano contém dez vezes mais bactéria que qualquer outro local do corpo. Essa enorme quantidade é composta de 400 espécies conhecidas de bactérias que participam de vários processos importantes para a saúde.

As atividades da flora se tornam abaladas quando expostas a toxinas que podem vir desde os alimentos e água contaminados, até do uso errado de antibióticos. Ajudar no retorno a uma flora saudável é a utilidade dos probióticos. O mecanismo exato de atuação deles ainda não foi totalmente descoberto. Sabe-se que reforçam o sistema imune a combater alergias, infecções, estresse e outras doenças.

As bactérias ingeridas podem ajudar na digestão, cicatrização de lesões intestinais e, entre outros processos, podem produzir vitaminas como B e K. Um mecanismo importante de ajuda à saúde é a competição com as bactérias ruins. Com o uso errado de antibióticos e a presença de bactérias resistentes, os probióticos provavelmente terão um papel ainda mais importante no futuro no combate às infecções.

Iogurtes são fontes de probióticos, assim como queijo e leite fermentados, entre outros alimentos
Iogurtes são fontes de probióticos, assim como queijo e leite fermentados, entre outros alimentos

Os benefícios provocados são específicos da espécie utilizada; isso é importante, pois existem inúmeras formulações no mercado e o benefício esperado depende de qual será usado.

Além das preparações farmacêuticas disponíveis, alimentos comuns também podem ser fontes de probióticos, entre eles iogurtes, queijos e leites fermentados. Além desses, eles também estão presentes em alguns alimentos não-fermentados, como produtos de soja, cereais e legumes. Para se ter uma ideia, até o leite materno é uma fonte de probióticos.

Eles podem ser usados na prevenção de algumas doenças, como osteoporose, cáries e infecção urinária. Assim como no tratamento de várias doenças, como alergias, infecções intestinais, síndrome de intestino irritável, intolerância a lactose, doenças inflamatórias intestinais – e até na melhora do colesterol!

Apesar de a ideia do uso de probióticos não ser nova, sua introdução como opção de tratamento de doenças e promoção da saúde somente foi aceita recentemente. Muitos estudos ainda virão estabelecendo o papel exato dos probióticos na nossa alimentação. No momento, o uso consciente deles é a melhor opção…

É fundamental lembrar que, sem ambiente adequado às “boas bactérias”, elas não sobrevivem, logo seu uso deve ser sempre aliado da alimentação saudável.

468 ad