Sabe como fazer a manutenção do seu veículo?

Muitos proprietários são vítimas da “empurroterapia”, prática utilizada por alguns estabelecimentos de oferecer peças e serviços desnecessários. Nesse momento, o que seria uma manutenção simples se torna fonte de um rombo no orçamento. Para dificultar a ação dos profissionais mal intencionados, não se engane:  quem está do outro lado conhece “de longe” uma potencial vítima.

Listamos, a seguir, algumas dicas para ajudar os proprietários a dificultar a vida dos “espertinhos” e, principalmente, separar os bons dos maus profissionais.

Saiba sobre o que é falado e tenha o manual como o seu aliado
Conhecer o produto que você tem nas mãos é essencial, inclusive como realizar as manutenções. Assim, o manual do proprietário é um grande aliado. Sabendo essas informações, o risco de ser enganado diminui. Saiba como checar o nível do óleo, do fluido do freio e do líquido de arrefecimento e, se você não é um expert no assunto, procure realizar as manutenções como o descrito no manual do veículo.

carro

Posto de gasolina não é oficina
Muitos frentistas são orientados pelas empresas que trabalham a vender os produtos oferecidos no estabelecimento. Um das formas mais comuns é pedir para verificar o óleo do motor enquanto o veículo é abastecido. O ideal é olhar o nível desse lubrificante logo de manhã, em um local plano ou, se necessário, ao longo do dia, também em local plano e dez minutos, no mínimo, após o motor ser desligado. Do contrário, o óleo sempre estará marcando para menos; então, o frentista completará o nível e o lubrificante irá vazar pela junta da tampa de válvulas causando um estrago e a necessidade de manutenção. Dessa forma, siga sempre os prazos e a quilometragem recomendados no manual do proprietário. Não aceite aditivos para serem colocados no combustível e que prometem milagres como aumento de desempenho – o óleo do motor já possui os aditivos necessários para o propulsor do veículo.

Para os pneus, siga a pressão recomendada pelo fabricante
Não coloque menos ou mais do que o recomendado pela montadora do veículo. A pressão dos pneus deve ser checada com os compostos frios. Quando os pneus estão quentes, o ar no interior deles se expande e a calibragem será menor do que o recomendado. Além do manual do proprietário, as pressões recomendadas estão em adesivos colados na tampa do bocal de combustível ou na coluna B, onde está a trava da porta, do motorista.

Desconfie do ajuste de cambagem quando for alinhar o carro
Os cuidados devem se repetir com o alinhamento e balanceamento, principalmente, com relação à cambagem, inclinação lateral das rodas. Portanto, se precisou de ajuste nesse item, pode ser sinal de um problema mais grave, como chassi desalinhado, eixo ou outro componente que está fora das especificações por causa de acidente ou batida muito forte na suspensão.

carro

Líquido do radiador
O líquido de arrefecimento é responsável por refrigerar o motor e está presente em um sistema hermeticamente fechado, ou seja, não tem por onde a água sair. Portanto, se o líquido abaixou, é porque existe vazamento em algum local e deve ser consertado o quanto antes. Para completar o nível do fluido, faça-o com o motor frio, utilize a combinação de água e aditivo, recomendados pelo manual do fabricante do veículo. Cuidado com frentistas em postos de gasolina que tentam vender aditivos sem necessidade. Na maioria das vezes, o líquido é substituído e não completado. O mesmo vale para o fluido de freio que muitas pessoas tentam “completar” sem necessidade. O fluido baixo pode indicar que está na hora de trocar as pastilhas, não completar o óleo. O recomendável é trocar o fluido no prazo recomendado pelo manual do proprietário, geralmente dois anos, afinal o líquido de freio absorve muita umidade e as propriedades dele ficam comprometidas.

A importância de verificar o escapamento
É mais comum do que você imagina o combustível brasileiro estragar esse item dos veículos utilizados no Brasil. Muitas oficinas, após conectarem um equipamento chamado scanner na central da injeção eletrônica do veículo, recomendam a troca de sensores, como a sonda lambda, sem verificar o escapamento do veículo. Verifique se existem problemas em partes do escapamento como o catalisador, silencioso, abafador ou os canos do escapamento que podem estar furados.

468 ad