Segurança esquecida

O uso do cinto de segurança, tanto nos bancos dianteiros quanto no traseiro, é obrigatório desde o final dos anos de 1990. Mas, apesar da lei, a utilização do cinto de segurança no banco traseiro ainda é uma prática pouco utilizada. Ou seja, mais de 1/3 dos motoristas brasileiros declararam não exigir que os passageiros que utilizam o banco de trás dos automóveis utilizem esse importante item de segurança.

Os dados da pesquisa nacional realizada pela Arteris, uma das companhias do setor de concessões de rodovias do Brasil, revelam ainda que entre os condutores com idade entre 31 e 40 anos, o percentual da imprudência é ainda maior. Cerca de 44% dos motoristas nessa faixa etária declaram não exigir dos passageiros o uso do dispositivo de segurança. O comportamento ocorre mesmo que 97,2% dos condutores declarem ciência sobre a obrigatoriedade de uso do cinto de segurança, inclusive no banco de trás.

cinto de segurança
cinto de segurança

Infração grave

Além de ser uma infração grave, rende multa de R$ 195,23 e cinco pontos na carteira. No caso de colisões, os passageiros do banco de trás podem causar graves lesões em si próprios e nos demais passageiros, afinal em uma colisão frontal o corpo do passageiro sem cinto será projetado com uma força até 50 vezes maior do que seu peso, ferindo o motorista ou o carona do banco da frente. “Fraturas diversas poderão acontecer se não estiverem usando o cinto. Pensar que os bancos do motorista e do passageiro da frente são uma proteção é um grande engano. Você será arremessado contra ele com grande chance de se machucar seriamente”, reforça Marccelo Pereyra, consultor da ABETRAN para Projetos de Educação e Segurança no Trânsito.

Enfim, o uso do cinto de segurança é fundamental para preservar vidas. Estudos indicam que o uso do cinto de segurança reduz em 75% as chances de ferimentos fatais para quem trafega no banco de trás e em 50% para condutores e passageiros no banco da frente. Por isso, é de extrema importância que todos usem o cinto, e que pais, responsáveis e, sobretudo, condutores redobrem a atenção, especialmente nos períodos de férias e feriados prolongados”, afirma Elvis Granzotti, gerente de Operações da Arteris.

Os acidentes de trânsito estão entre as principais causas externas de morte no Brasil e no mundo. A cada hora, 140 pessoas perdem a vida no trânsito segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Cinto de segurança
cinto de segurança
468 ad