Sobrando no mercado

Se analisarmos apenas as vendas, sobram motivos para a Chevrolet tratar a Spin de forma especial, no mínimo. Em 2016, no segmento dos monovolumes grandes, o modelo vendeu 22.982 unidades, mais de 60 vezes a soma dos três modelos abaixo dela no ranking, que venderam, juntos, 377 unidades.

Visto de fora, a Spin possui o mesmo visual de 2014 e chama atenção, principalmente, pelo estepe na traseira que está localizado no meio da tampa do porta-malas e está preso a um braço mecânico que se abre para a esquerda, independente da tampa, que se abre na vertical. Mas toda essa operação exige espaço e confesso que evitei usar o porta-malas devido ao trabalho necessário para abrir a tampa – preferi colocar as compras no assoalho do banco traseiro.

O monovolume possui molduras nos para-lamas, adesivos nas laterais, rack no teto, para-choque encorpados, faróis com máscara negra e apenas cinco lugares. Segundo a Chevrolet, porque o público aventureiro precisa de mais espaço, tanto que o porta-malas possui capacidade de 710 litros.

O motor da Spin Activ é o conhecido 1.8 de 8 válvulas, agora com o nome SPE4/Eco. A potência foi aumentada de 108 cv para 111 cv, quando alimentado com etanol, e torque máximo de 17,7 mkgf aos 2.600 giros – antes ele era atingido aos 3.200 rpm.

A versão avaliada está disponível apenas equipada com o câmbio automático AT6 de seis marchas. Apesar da proposta do monovolume não ser o desempenho, o motor atende bem à proposta do carro e consegue ser econômico, fazendo uma média de 10 km/l trafegando na cidade e 11km/l na estrada.

Um dos motivos para a melhora na economia é que a Spin está 33 quilos mais leve, 1 centímetro mais baixa, mesmo na versão aventureira, e agora conta com grande ativa, uma tecnologia empregada pela Chevrolet nos Cadillac, divisão de luxo da marca norte americana.

A nova peça abre e fecha a entrada de ar para o radiador de acordo com a temperatura, velocidade e o uso do ar condicionado; além disso, o carro recebeu um novo sistema de arrefecimento, mais eficiente.

O modelo cedido pela Chevrolet ainda possui o sistema OnStar (assistência remota ao motorista), equipado com navegador por GPS com indicação por setas na central multimídia MyLink.

O painel de instrumentos conta com bússola e monitoramento da pressão dos pneus. A Spin merecia um painel com um plástico mais agradável ao toque. O banco de trás não possui cinto de três pontos para o passageiro central e nem sistema isofix, utilizado para prender assentos infantis nos bancos de tecido com listras no centro e costuras aparentes.

O monovolume vem equipado com rodas aro 16 e pneus Pirelli Scorpion, do tipo todo terreno, mais apropriados para a terra, nas medidas 205/60, que é ruidosos no asfalto liso e que nas curvas ajudam, ainda mais, na inclinação da carroceria, mas não é algo que incomoda tanto assim – prova disso são as vendas do monovolume.

chevrolet spin

Ficha técnica:
Chevrolet Spin Activ
Preço: R$ 73.190 (de acordo com o site da Chevrolet)
Motor: 4 cilindros em linha 1.8, 8V
Cilindrada: 1796 cm3
Combustível: flex
Potência: 106 cv a 5.200 rpm (g) e 111 cv a 5.200 rpm (e)
Torque: 16,8 kgfm a 2.800 rpm (g) e 17,7 kgfm a 2.600 rpm (e) Câmbio: automático sequencial, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensões: McPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,624 m (c), 1,764 m (l), 1,953 m (a)
Entre-eixos: 2,620 m
Pneus: 205/60 R16
Porta-malas: 710 litros (1.021 c/ banco rebatido)
Tanque: 53 litros
Peso: 1.275 kg

chevrolet
chevrolet
468 ad