Toca de Copas

Quatro é um número mágico para o Cruzeiro.

Ainda mais quando o assunto é Copa do Brasil.

Tetracampeão recordista.

Bem verdade que o Grêmio, que vem aí pela frente, está ao lado neste topo.

Duelo antecipado pelo penta?

Cruzeiro copeiro é uma rima perfeita que anda esquecida. Há 13 anos o time da Toca não levanta uma Copa.

Aliás, essa vitória por 4 a 2 sobre o Corinthians evoca justamente a decisão de 2003, quando o Cruzeiro bateu o outro time queridinho do establishment por dois gols de diferença, no caso 3 a 1 sobre o Flamengo.

Evoca também a goleada por 4 a 0 sobre o mesmo Corinthians na campanha vitoriosa da Copa do Brasil de 1996.

Tem mais vibe copeira no ar. Fábio Júnior saiu do banco para fazer a diferença contra o São Paulo na decisão de 2000 desta mesma Copa, por 2 a 1, lembram-se? Pois desta vez Arrascaeta foi o cara que entrou e decidiu, com assistência, gol e o escambau.

E o que é que remete à trajetória de 1993, quando o time levantou esta taça pela primeira vez?

Claro que é o Grêmio, adversário daquela final e rival da vez na corrida pelo penta.

Cruzeiro copeiro, rima saudosa que dá gosto.

Campeão da Taça Brasil, bi da Libertadores, bi da Supercopa… E tem Recopa, Ouro, Master, Sul-Minas, Centro-Oeste…

Inventem uma outra qualquer. Que seja a Copa Marte ou de Saturno. Uma hora ela vai para a Toca.

Mas o que importa agora é a Copa do Brasil.

Virou uma Sul-Minas.

Grêmio pela frente, Atlético x Inter na outra semifinal.

De Sul-Minas o Cruzeiro entende.

Desta Copa também.

A China Azul confia em Rafael, o substituto revelação do ídolo Fábio.

Quem segura o xerifão-goleador Bruno Rodrigo?

Henrique, o líder altivo na meiúca.

Robinho, cada vez melhor na armação.

A tarimba de Sóbis, o faro de Ábila, o talento de Arrascaeta.

Alisson, Rafinha, Ariel, Lucas Romero…

Pode não ser exatamente o time dos sonhos.

Mas não é time para cair no Brasileiro.

E é time para o penta, para resgatar uma tradição que só La Bestia Negra tiene, amigo.

Cruzeiro copeiro.

Não há rima mais perfeita que esta.

CRÉDITO FOTOS: Juliana Flister / Lightpress

468 ad