Uber, preço dinâmico e táxis:  consumidor deve ficar atento

No último fim de semana, ao utilizar o Uber em Belo Horizonte, conheci o “preço dinâmico “. Ele pode aumentar substancialmente o preço do serviço. Segundo o Uber, quando a demanda por viagens aumenta, os preços variam para incentivar que mais motoristas se conectem ao aplicativo e assim você terá um carro sempre que precisar. Quando a oferta subir, os preços rapidamente voltam ao normal.

Para o Uber, motoristas voluntariamente se tornaram parceiros e tem a opção de escolher quando estarão disponíveis na plataforma. O mecanismo do “preço dinâmico” ajuda a equilibrar a oferta e a demanda pois incentiva os motoristas a estarem disponíveis, por exemplo, após o fechamento de bares no sábado a noite ou durante uma tarde chuvosa.

Cheguei a detectar situações que o Uber pedia corridas 1. 7, 1.9 e até 2.1 vezes maiores que o preço normal. Conversando com um motorista do Uber, ele me disse que num final de noite chegou a observar um aumento de 3 vezes no preço normal no “preço dinâmico”.

O preço dinâmico é bem volátil. Nas três vezes que tive que utilizar, esperei alguns minutos e quando caiu para 1,30% do preço normal eu peguei o serviço e ainda ficou bem mais barato que a corrida de táxi.

Para valores superiores a 2,1 (ou algo próximo), penso que a corrida de táxi pode ficar mais em conta em alguns casos.

O consumidor deve, então, ficar de olho, pois no “preço dinâmico” os aumentos da tarifa podem assustar, mas em alguns minutos (se for de dia, em especial), eles podem retroceder a valores aceitáveis.

468 ad